MEU CARRINHO

FALTAM PARA FRETE GRÁTIS! (*)

(*) Válido para: São Paulo, Rio de Janeiro Capital, Belo Horizonte e Curitiba.

Ícone do carrinho

Nenhum item no carrinho.

SUSTENTABILIDADE DO BAG-IN-BOX

SUSTENTABILIDADE DO BAG-IN-BOX

FABENNE - 23/03/2022

SUSTENTABILIDADE DO BAG-IN-BOX

Ragazzi, que os nossos vinhos bag-in-box conquistaram o coração de vocês nós já sabemos. E depois de ler esse texto, você ficará ainda mais apaixonado por essa nova maneira de tomar uma taça de vinho. 

 

Em comparação com outros materiais rígidos, as embalagens feitas de sacos e bolsas, que é o caso do nosso bag-in-box, usam menos material, exigem menos energia e criam menos emissões de gases de efeito estufa durante todo o seu ciclo de vida.

 

Segundo o artigo produzido pela Scholle IPN, empresa de filmes, componentes e equipamentos para bag-in-box e pouches, uma das métricas para definir melhor as vantagens desse tipo de embalagens para as embalagens rígidas “é a proporção do produto por embalagem, ou a proporção do peso de todo o material da embalagem usado pelo peso do produto ou unidade funcional entregue". 

 

Muitas embalagens rígidas  são produzidas através de materiais pesados, como o vidro ou metais, o que faz com que necessitem de mais energia para serem produzidas, transportadas e armazenadas.

 

Já a embalagem flexível, é um método que tem uma estrutura leve, o que limita a quantidade de embalagem necessária para a mesma quantidade de produto que uma embalagem rígida pode armazenar. 

 

Nesse caso, como está sendo utilizada uma menor quantidade de material para fazer o mesmo produto, há menos consumo de energia para produção  e consequentemente, as emissões totais de gases de efeito estufa são menores, o que leva a uma redução geral da pegada de carbono.

Interessante, não é mesmo? Tomar uma taça de vinho vai ser ainda mais prazeroso depois dessas informações.

 

Um bacio!

Fonte: Scholle IPN