MEU CARRINHO

FALTAM PARA FRETE GRÁTIS! (*)

(*) Válido para: São Paulo, Rio de Janeiro Capital, Belo Horizonte e Curitiba.

Ícone do carrinho

Nenhum item no carrinho.

A IMIGRAÇÃO ITALIANA NO SUL DO BRASIL NAS ORIGENS DA FABENNE

A IMIGRAÇÃO ITALIANA NO SUL DO BRASIL NAS ORIGENS DA FABENNE

FABENNE - 28/06/2021

A Imigração italiana no sul do Brasil contribuiu para trazer ao nosso país o cultivo das variedades de uvas Cabernet Sauvignon e Moscato, a base dos vinhos Fabenne.

Na Serra Gaúcha, em parceria com mais de 450 famílias da região da Vila Jansen, desenvolvemos nossos primeiros vinhos: Fabenne Cabernet Sauvignon, Fabenne Moscato Giallo e Fabenne Rosé.

Querem saber mais sobre a Imigração italiana no sul do Brasil? Nós te explicamos com a ajuda dos textos e imagens do Museu Etnográfico da Colônia Maciel da Universidade Federal de Pelotas e da Prefeitura Municipal de Pelotas*.

Italianos no sul Brasil

Os italianos já estavam em terras gaúchas há muito tempo. Eram técnicos, artistas e especialistas, jesuítas italianos nas missões e padres capuchinhos no Forte de Rio Grande.

Nos núcleos urbanos eram encontrados italianos ligados ao comércio ou às artes (músicos, escultores, pintores, professores de música).

“Encontramos a presença dos italianos em Porto Alegre desde 1820. São os comerciantes das esquinas com seus cafés, barbeiros, açougueiros, quitandeiros e vendedores de bilhetes. A família trabalha junto, conservando seus costumes."

História do Rio Grande do Sul - Ana Luiza Jaskulski

Da Revolução Farroupilha (1835-1845) participaram muitos italianos, como por exemplo Giuseppe Garibaldi.

O início da imigração italiana no sul do Brasil

“Com a diminuição da imigração alemã no Rio Grande do Sul, o governo pensava em alternativas de substituição — e nesse cenário os primeiros imigrantes italianos chegam em 1875. O grande atrativo era oferecer aos colonos terras para trabalharem como agricultores em uma época na qual a Itália passava por uma grave crise econômica."

Imigrantes italianos no Rio Grande do Sul por Carolina Roque

Para eles e muitos outros imigrantes, o Brasil era sinônimo de fartura e oportunidade e, por isso, cruzar o Atlântico era buscar o sonho de uma vida melhor.

Um difícil começo

Conforme contam as pesquisas do Museu Etnográfico da Colônia Maciel da Universidade Federal de Pelotas, a primeira parada destes imigrantes era o Rio de Janeiro, de onde rumavam para o porto de Rio Grande ( RS), seguindo então pela Lagoa dos Patos até Porto Alegre.

Permaneciam semanas ou meses em barracões comuns, prestando trabalho compulsório na abertura de estradas e em outros serviços públicos.

Com subsídios do governo para que se estabelecesse de forma definitiva, nasceram as primeiras colônias italianas no Brasil:

  • 1875 - Colônia Dona Isabel (Bento Gonçalves), Colônia Conde d’Edu (Garibaldi) e Colônia Fundos de Nova Palmira (Caxias do Sul)
  • 1877 - Silveira Martins (próximo a Santa Maria)
  • 1884 - Colônia Álvaro Chaves (Veranópolis)
  • 1885 - São Marcos e Antônio Prado

Nesta época, a maioria dos imigrantes que vieram para o Sul do Brasil era originária do Norte da Itália, os imigrantes do sul da Itália só chegariam a partir de 1895.

De acordo com o livro A história do Brasil de Boris Fausto, registros mostram que entre os anos de 1882 a 1889, 41.616 imigrantes ingressaram no Rio Grande do Sul. Desses, 34.418 deles eram italianos!

Legado da imigração italiana sul do Brasil

A imigração italiana no sul do Brasil deixou um rico e importante legado!

Idioma

O talian, um variante da língua vêneta, é chamado de vêneto brasileiro, e ainda é falado em algumas comunidades de descendentes italianos no Rio Grande do Sul.

Arquitetura

Inicialmente eram apenas construções simples para abrigar os colonos que chegavam na Serra Gaúcha.

Mas a partir do início do século XX esse estilo de arquitetura foi relacionado à própria identidade cultural italiana. Algumas de suas características são:

  • Simplicidade de formas
  • Originalidade no uso dos materiais
  • Soluções criativas em termos estruturais e decorativos
  • A solidez da construção em madeira e pedra

O legado arquitetônico italiano no Rio Grande do Sul aparece também nas igrejas e capelas como herança do forte sentimento católico dos colonos.

A igreja era o centro das comunidades e, por meio da religião, os italianos exerceram grande influência na cultura do sul do Brasil.

Gastronomia e Vinicultura

O costume de sentar-se à mesa com toda família para uma refeição farta é, em parte, influência italiana.

Outro ponto de destaque são os vinhos, a vinicultura era um dos pilares econômicos das primeiras colônias, tradição que até hoje é fortíssima em todo o sul do Brasil.

Fabenne, vinhos, história e tradição

A Fabenne se orgulha em contar e vivenciar essas histórias, histórias que inspiraram a essência dos nossos produtos, vinhos finos, varietais, em embalagens Bag-in-Box produzidos em parceria com 450 famílias da Cooperativa Vinícola São João na Serra Gaúcha.

* A Nonna agradece ao Museu Etnográfico da Colônia Maciel da Universidade Federal de Pelotas e da Prefeitura Municipal de Pelotas pelos textos e imagens utilizados nesse post.